Eu sou maluco? Quero dominar o mundo (ansiedade)

Não tem uma pessoa que eu conheço que não se denuncie como um ansioso de carteirinha.

Ansioso, quer tudo de uma vez...

Chamo a ansiedade de ladrão de felicidade.

A ansiedade é aquela erva daninha instalada na mente que está sempre tentando controlar e se antecipar a cada situação real ou imaginária.

É aquela tentativa de obter controle sobre o meio ambiente intencionando se antecipar à qualquer possibilidade de imprevisto, surpresa ou dissabor.

O inimigo número 1 da ansiedade é o sofrimento e para evitá-lo a ansiedade constrói uma série de armadilhas para desativar qualquer sinal ou anúncio de dor emocional. O medo de sofrer é tão grande que constrói masmorras emocionais que nos trancafiam em nós mesmos.

Imagine uma mulher que trabalha no que gosta é ativa socialmente, casada e tem 2 filhos com idade de 11 e 8 anos. Ela tem muito medo de não ser reconhecida profissionalmente, que os amigos a considerem ausente, que o marido se desiteresse dela e dê bola para aquela sirigaita do trabalho e que os filhos se distanciem e repitam de ano. Qual é a real chance que ela tem para controlar cada um desses eventos? E mais, como ela poderia, de fato, evitar algum desses eventos se estiver sempre afobada, exausta e sendo incisiva a cada sinal de possível descontrole?

A ansiedade é uma péssima conselheira, pelo simples fato que ela não cria soluções inteligentes, mas aumenta o potencial catastrófico do perigo.

A tentativa de controle é tão cristalizadora que nenhuma experiência acontece sem ser passada em revista. O ansioso está sempre interditando o prazer e a fluidez em existir e bloqueando nas alfândegas da mente o melhor que há na vida à pretexto de ter tudo sob controle.

Evitar o desprazer tentando antecipá-lo é a maneira mais pobre para conduzir uma vida. É como tentar guardar a felicidade na poupança com a expectativa de resgatar uma economia de bem-estar no futuro.

O ansioso sofre do mal da covardia emocional ao ficar rastreando cada momento como um auditor severo, preocupado e pessimista.

A motivação inconsciente do ansioso é o poder e a tentativa constante de se sobrepor à realidade.

Sua mente nunca está no presente e teima em tirá-lo de qualquer lugar sem a menor cerimônia. No momento relaxante do banho a ansiedade sequestra sua mente para o relatório do dia seguinte, na hora de brincar com os filhos rapta os sentimentos para o cativeiro do medo que alguém se machuque e quando quer gozar no sexo catapulta o desejo para a preocupação com o desempenho.

Ladrão de felicidade disfarçado de bom amigo, é assim que defino a ansiedade. Se eu pudesse aconselhar você à alguma coisa na vida é, mantenha sua cabeça aqui e agora, que é o único lugar onde a felicidade pode encontrar você.

 

______________________

Outros artigos relacionados

Série Pare!

Eu sou maluco?

Eu sou maluco? – Esquizofrenia

Eu sou maluco? – Depressão

Eu sou maluco? – Síndrome do Pânico

O que falar para alguém que está prestes à morrer? – Nota de falecimento de R.

Sobre o sofrimento

About the author

Sonhador nato, psicólogo provocador, apaixonado convicto, escritor de "Como se libertar do ex" e empresário. Adora contar e ouvir histórias de vida. Nas demais horas medita, faz dança de salão e lava pratos.

Related posts

  • Daniel

    Muito bom o texto, descreve exatamente o que se passa comigo. Você poderia me dar algum conselho, ou exercício pra acabar com isso? Sempre estou pensando no depois e nunca no agora, calculando o que pode e o que não pode acontecer, quero parar com isso. Obrigado!.

    • blogsobreavida

      Melhor não dar nenhum conselho por enquanto, se não ele será mais uma ferramenta de autotortura…