Transtornos de personalidade: os dramáticos

Se você falar para ele “bom dia!” a resposta é sempre uma caixinha de surpresas. Ele pode responder “Estou óooooootimo!!!!!” ou “Te odeio, sai de perto de mim!”. Esse é o transtorno de personalidade à moda latina.

Ela era muito emo?

Entre as mulheres é mais comum ser aquele tipo que anseia desesperadamente por atenção. Isso pode ser conseguido com o recurso que tiver à mão: beleza, doença, status, meiguice, barraco, coitadismo, não importa, desde que tenha um retorno. Costumam ser vítimas da corrida pela aparência chegando a casos de anorexia e bulimia.

No caso de homens são aqueles tipos mais exagerados do tipo machão, Don Juan, o fraquinho da turma, o guru místico, todos atrás de aprovação, ainda que muitas vezes as avessas. Eles acabam apelando ao universo das drogas para sentiram a vida no seu máximo e parecer o “tal” da turma.

Os dramáticos costuma ser entusiasmados, divertidos e altamente desenvoltos nas rodas sociais. Costumam tratar pessoas desconhecidas como amigos íntimos. Provavelmente você ama ou odeia essa pessoa, afinal ela quer ser de um jeito ou de outro o centro do palco. As conversas são sempre orientadas e conduzidas por ela, que acaba falando de seus feitos pelos cotovelos.

Costuma se aborrecer demais com seus erros e se comete gafes é capaz de ficar se perguntando mil vezes se os outros gostaram ou não do que ela fez.

Dificilmente ela vai admitir que está com raiva, ainda que seja evidente. Costuma ter pouca memória para coisas usuais, afinal sua mente está sempre focada em sonhos distantes. Adoram coisas esotéricas, sobrenaturais e até achar que tem poderes ocultos (ou um charme especial) que não revela para ninguém.

As vezes tem doenças que desaparecem do nada. Basicamente para chamar atenção.

Nos relacionamentos é um desastre, pois acredita que seus sentimentos estabelecem o que é a verdade. No entanto, apesar de achar que está sendo clara, costuma ser bem ambígua e confusa e achar que aquilo que ela sente o outro sente também. Por essa razão é comum achar que os outros estão apaixonados por ela. Costuma achar que está sendo paquerada, quando na realidade é ela que está seduzindo (o mecanismo de defesa predileto é a projeção) ainda que acuse os outros de sedutores.

Apesar de ser sensível e melindrosa acha que é a pessoa mais fácil do mundo de se relacionar. Seu humor pode mudar radicalmente a qualquer instante sem o menor aviso por se sentirem minimamente rejeitadas ou deixadas de lado. Muito carentes, esse é o ponto.

Costumam ser altamente influenciáveis e sugestionáveis (adoram curandeiros e cartomantes) e preferem enxergar o mundo como uma realidade cor-de-rosa, meio Hello Kity.

Costumam ser queridas enquanto estão num dia bom, mas quando começam a fazer draminha, sai de baixo!

Para lidar com eles é importante confrontá-los com fatos, porque eles tendem a distorcer a realidade à partir de suas emoções e acreditar nelas. Além disso faça o que eles se recusam a fazer: planos para o futuro, lide com coerência, use a racionalidade para quebrar o excesso de emocionalidade, mantenha a cabeça aberta e a boca fechada. Se ele chorar (bem comum) não dê muita atenção.

Resista definitivamente à tentação de tentar agradar essa pessoa, ela é insaciável.

Se você é um tipo assim, provavelmente está incomodado, mas achando que eu sou exagerado ou chato

______________________

NOVA PALESTRA EM SÃO PAULO no dia 2 de junho de 2012 (sábado) das 14h as 17h sobre                           O PODER DA ENERGIA FEMININA    [CLIQUE AQUI PARA SABER MAIS]

_____________________
Leia
sobre mais transtornos

Ansiedade

Transtorno Bipolar

Transtorno Obsessivo-Compulsivo

Síndrome do Pânico

Transtorno Depressivo

Esquizofrenia

Eu sou maluco?

 

Tags :

About the author

Sonhador nato, psicólogo provocador, apaixonado convicto, escritor de "Como se libertar do ex" e empresário. Adora contar e ouvir histórias de vida. Nas demais horas medita, faz dança de salão e lava pratos.

Related posts

  • Fernanda b

    Prezado, obrigada pelo texto maravilhoso.
    Me identifiquei na grande maioria dos exemplos, ou seja, sou dramática! No entanto, gostaria de não ser. Tenho tentado exercitar o silêncio sobre certos assuntos, pois em geral, sempre quero ter opinião sobre tudo, e claro, falar sobre ela pra alguém.
    Tento não ser chorosa, pois já percebi que o resultado é exatamente o oposto das coisas que desejo, pois, a depender do momento, desejo atenção de qualidade, se ouvida, respeitada, mas recebo exatamente o oposto.
    Isso cansa, e estou extremamente cansada desse meu jeito, mas não sei o que fazer.
    abraços.