PARE de reclamar !

Já fui um reclamão, daqueles bem chatos. Reclamava do tempo, do dia, das pessoas, de mim mesmo.

Tudo estava errado, inclusive eu. Ninguém passava no meu critério incólume. Isso até meus 20 anos.

Mesmo na lama está sempre se queixando

Meu pai [olha ele aqui] faleceu quando eu estava quase fazendo 19 anos. E não deixei de reclamar por conta de sua doença e tudo que envolveu aquilo. Mas notei que gradualmente essa mania começou a perder força.

Comecei a perceber a inconsistência do hábito  constante de me opor às situações cotidianas e simplesmente adotar uma postura de observação sobre os acontecimentos sem necessariamente me fixar neles. [leia +]

O hábito de reclamar é tão grudento e imperceptível para o reclamão que ele pode passar uma vida inteira se queixando de tudo e sendo desagradável sem notar.

RE-clamar, clamar novamente, implorar de novo, reivindicar tudo, eis o que o reclamão faz.

Ele está sempre numa posição passiva e insatisfeita, ao mesmo tempo superior e exigente. O reclamão acha que só ele é o correto e o mundo está errado.

Acredita piamente que sabe sobre tudo o que deveria ser feito e que todas as demais pessoas são infantis e incapazes.

Olha com desdém para tudo e todos. Em sua visão sempre existe um apontamento ou algo que poderia ser corrigido. Parece ter uma perspectiva apropriada de cada acontecimento.

No trabalho seria o melhor chefe do mundo ou pelo menos teria mil lições de etiqueta para seu superior.

Na família tem sempre uma maneira de cutucar alguém e esbravejar uma lição de moral.

No relacionamento será sempre o acusador que tenta “melhorar” o outro.

Notem que o nível de reclamismo de uma pessoa revela o quão amarga ela é. Parece que está sempre olhando para aquilo que falta, quebra e é incompleto. Nada pode bastar na sua sede de insatisfação.

Ela podia estar olhando o que falta...

Ela tem um ar de vítima impotente em que tudo à sua volta é sujo e corrupto. Quase como se ela fosse a única pessoa correta que zela pelo bem estar do mundo.

Nesse aspecto o reclamão sempre acha que a dor dele é a única do mundo e que ninguém o compreende. Ele não caiu na real que não existe privilégio [leia +] na vida e que não é especial em absolutamente em nada. As coisas mudam para todo mundo e para ele também.

Qual o clima emocional que uma pessoa reclamona cria à sua volta?

As pessoas se cansam e se afastam. Ninguém consegue permanecer muito tempo na aura de uma pessoa amarga e cheia de razão. Afinal, fatalmente uma hora a reclamação será de você.

Fora o fato que o reclamão está sempre de cara amarrada, bufando e praguejando.

O mal do reclamão é uma inveja com uma pontinha de depressão. Ele está sempre olhando para tudo com um certo amargor invejoso e mascarado. Aquela euforia e libertinagem que critica no vizinho barulhento é a mesma que ele gostaria de poder usufruir caso fosse mais corajoso.

Para remediar o hábito de reclamar, portanto, sugiro algo simples. Coloque movimento na sua vida, deixe de ficar analisando a vida dos outros, adote uma perspectiva positiva sobre os acontecimentos (é possível ser positivo sem ser ingênuo) e pelo bem da humanidade, PARE DE RECLAMAR!

Mande esse link discreta e carinhosamente para a pessoa que você considera um reclamão.

*

Esse é o segundo texto da série PARE:

Já tivemos o Pare de drama emocional

Os próximos são Pare de ajudar

Pare de ajudar

Pare de (se) justificar.

Pare de (se) machucar

Pare de (se) corrigir/consertar

Pare de (se) controlar

Pare de (se) acusar

____________________

Outros artigos de interesse 

O que falar para alguém que está prestes à morrer? – Nota de falecimento de R.

“Ele me deixou e não deu explicações”

Tomei um pé na bunda! 

Eu tenho medo de me apaixonar

Você nunca mais vai amar do mesmo jeito

Por que meu relacionamento acabou?

Amor profundo

Todo amor é platônico

As várias máscaras do amor

Como exorcizar da sua vida alguém que se relacionou amorosamente?

Você abandonou a criança que existe aí dentro de você

Você é só mais um

Você vive no automático

Orgulho: o grande ladrão de felicidade

Sobre o sofrimento

Reflexões em meio à natureza selvagem

Por que temos dificuldade em perdoar?

Dependência, apego e morte

Qual diferença você faz nesse mundo?

O que faria se pudesse voltar ao passado?

Você dá o seu melhor na vida?

Por que aceitamos os bebês e rejeitamos os adultos

A ilusão do dinheiro

Sobre inconveniências sociais

Tenho HIV+

Olhar de turista

Por que temos problemas?

7 tipos de felicidade

Síndrome de Domingo à noite

Vida Ideal e Vida Real

 

About the author

Sonhador nato, psicólogo provocador, apaixonado convicto, escritor de "Como se libertar do ex" e empresário. Adora contar e ouvir histórias de vida. Nas demais horas medita, faz dança de salão e lava pratos.

Related posts

  • Hugo

    Cara, eu até iria mandar esse link para alguém, mas depois percebi que o destinatário seria eu mesmo! 😛
    A única diferença de mim para o texto, é que eu quase nunca me considero o correto, estou sempre com um tipo de auto-flagelo…
    Parabéns pela análise, Fred. Foi uma tijolada na (minha) cara!

  • Show, Fred.

    Inclusive escrevi um texto no Papo de Homem sobre isso há um tempo:

    http://papodehomem.com.br/21-dias-sem-reclamar/

    Abraço

  • claudia

    Sabe a principal função das suas publicações é chamar a atenção das pessoas sobre comportamentos que realmente fazem mal, não só a própria pessoa como aos que a cercam. Gostaria de ler algo a respeito de catarse da sua larva. Às vezes a pior coisa para aquele que reclama é não ter como extravazar suas frustrações. Qual o papel da catarse nisso?

  • Ufa! Estou ficando mal acostumada, não consigo mais ficar um dia se quer sem ler seus textos. São bons demais. Este em especial veio de encontro com minha necessidade hj. Obrigada por vc me ajudar. Estou compartilhando com minhas amigas e familiares seus textos.
    Abraços!

    • blogsobreavida

      Que bom que ajudou! Continue acompanhando! 😉